Santa Catarina

Por Marcos em 22 de julho de 2016

Em busca da neve…..uma tarefa complicada, teve desdobramentos e será que encontramos? Leia abaixo…

No começo de Junho começamos a receber pela TV a informação da chegada de uma forte frente fria entrando pelo sul, frente fria forte sugere neve… meio do mes, partimos.

Saímos bem cedo, 4 e pouco da manhã de uma Quinta Feira, e vamos em frente. Pegamos a SP 340 rumo ao rodoanel na grande São Paulo, saída para a Regis Bittencourt BR 116. primeira parada em Itapecerica da Serra, banheiros, abastecimento e vamos em frente. A BR 116 está muito boa, a rodovia foi privatizada mas se vê muito pouco de carros de apoio. O problema dela, em São Paulo, está ainda na Serra do Cafezal, asfalto péssimo, desvios, falta sinalização, massss a nova pista está sendo construída e quando terminar o tempo de viagem até Curitiba vai reduzir, além de termos pista segura e moderna. Cuidado nesta região, muita atenção enquanto estiver dirigindo por ali.

Descida Serra do Cafezal
Pista nova. Serra do Cafezal

Nova parada, desta vez em Registro. Paramos no Posto Graal, boa estrutura, bonito, porém estava parado também alguns onibus de excursão e com isto a situação dos banheiros era péssima. Realmente educação, asseio e higiene é algo que ainda falta a muitas pessoas, infelizmente. Deixando a sujeira para tras seguimos em frente.

Na região de Rio do Turvo a Br 116 volta a ficar perigosa, mas aqui não é em razão de buracos ou sinalização, mas sim pelo caminhoneiros que efetivamente não respeitam veículos menores, nas descidas aceleram forte e vão pra cima dos menores. Devo ter levado umas 5 fechadas fortes. Na subida ocupam as 3 faixas e mais ninguém passa. Fácil de resolver se houvesse fiscalização. Novamente fique muito atento neste trecho.

Fizemos Curitiba pelo anel viário, não passamos por dentro da cidade e na saída do contorno Leste entramos na BR 101. Aqui uma curiosidade. A BR 101 junta-se a BR 116 em Juquiá – SP e seguem juntas até Curitiba, dai novamente se separam. O projeto original era que ela continuasse margeando o litoral até o Paraná.

Nova parada, desta vez em Contenda, Rede Ipiranga Rodo Rede. Procuramos sempre parar no Rodo Rede pois são bem estruturados, banheiros limpos e apoio de borracharia etc. Mas aqui vale um destaque: o APP da Ipiranga não funciona direito. Voce baixa e quando vai procurar por postos ele não os encontra. Infelizmente a idéia é boa, só tem que funcionar. Encontramos os postos no olho mesmo. Abastecidos, seguimos em frente. mais uma parada em Pedra Branca – SC e rumamos finalmente para Palhoça – SC.

Chegamos em Palhoça por volta de 17:30 Hrs o Hotel que escolhemos foi o Slaviero Via Catarina. Porque optamos por Palhoça?  Primeiro que não havia mais hotéis em São Joaquim, segundo que a proximidade do hotel com a saída para a serra catarinense ajudava, e terceiro o valor da diária estava muito bom,  e é bem perto de Florianópolis. Mais detalhes do hotel no topico hospedagem.

Instalados começamos a programar o dia seguinte, a Sexta Feira. A idéia inicial era ir para Urupema, Urubici e São Joaquim pois a previsão do tempo no início da semana dava como certo neve, mas conferindo novamente os sites o prognóstico de neve passou para Sábado. Ok, sem problemas. Montamos o roteiro para conhecer a Serra do Rio do Rastro.

Novamente acordamos muito cedo, um frio enorme…

Gelooooo

Gelooooo

Rumamos sentido Laguna, na mesma BR 101, chegamos em Tubarão e fomos sentido Orleans e Lauro Muller. Lauro Muller é o portal de entrada para a Serra do Rio do Rastro. Siga em direção a Bom Jardim da Serra e desfrute de belas paisagens. A Serra é algo de indescritível, é percurso para subir, ou descer, depende de onde você vem, sem pressa curtindo a paisagem, sentindo o ar, o cheiro da mata, algumas vezes som nenhum, o mais absoluto silencio. A estrada está muito boa, mas acredito que em época de chuvas, que na região vai de Setembro a Abril a chance de deslizamentos é muito grande. Se você for visitar nesta epoca muita atenção, um olho na estrada e outro nas encostas.

A serra possui várias áreas de parada para fotos e contemplação, interessante pois são paisagens que nos levam a reflexão a uma paz interior muito grande.

Lauro Muller 58
Lauro Muller 11

As primeiras aparições de gelo começaram logo no pé da Serra, mas a boa surpresa estava no meio dela; uma pequena cachoeira totalmente congelada. Algo maravilhoso de se admirar…

Gelo

 

 

As folhas brancas de gelo…

Lauro Muller

 

 

 

E a água congelada….

Subindo, devagar, de vidros abertos… um frio de matar… mas a oportunidade era única de sentir a natureza tão exuberante. O fim da serra para quem está subindo é em um mirante a mais de 1700 metros de altitude. O céu bem azul, o Sol brilhando intensamente, mas o frio que estava lá em cima era de congelar pinguim… A vista do alto da serra é deslumbrante, a estrada como uma serpente, ao longe o mar, os canions… é muita coisa para ver, descrever é dificil…

Mirante Rio do Rastro

Mirante Rio do Rastro

Rio do Rastro 3

Serra do Rio do Rastro

Registro dos que já passaram por lá...

Registro dos que já passaram por lá…

A estrutura no mirante é muito boa, com amplo estacionamento, lanchonete, venda de souvenirs e banheiros limpos. Interessante que o banheiro é pago, R$ 0,50 por pessoa, uma caixa deixada sobre uma cadeira era o deposito de dinheiro, ninguém cobrando. No tempo que fiquei por ali percebi que todos que usaram o banheiro colocaram o dinheiro na caixa, alguns fizeram troco e ninguém tirou dinheiro dela. Pois é, assim como tem muitas pessoas sem higiene, que emporcalham banheiros, existe uma outra parcela de pessoas que são honestas, não precisam ser fiscalizadas para cumprir com sua educação e cidadania. Me alegrou ver tal cena.

Ficamos um tempo contemplando aquela bela paisagem, mas o frio era intenso, assim partirmos rumo a São Joaquim. Saindo do mirante pegamos a rodovia SC 390 a direita sentido Bom Jardim da Serra. O portal de boas vindas é bonito mas..

Portal Bom Jardim da Serra - SC

Portal Bom Jardim da Serra – SC

… mas eu precisava abastecer para ir até São Joaquim, o próximo posto é na cidade de Bom Jardim da Serra, daí a decepção. Estava pagando o litro de etanol em Santa Catarina R$ 2,70 no valor mais alto. Parei no posto para abastecer com este preço na cabeça, após o fim do abastecimento fui pagar e levei um susto com o valor R$ 3,70 o litro de etanol!!! Simmm R$ 3,70 um roubo! Posto Ipiranga.. deve ser o único da cidade e explora qualquer um sem dó nem piedade, me senti lesado, furtado, roubado mesmo! Assim, NÃO ABASTEÇA EM BOM JARDIM DA SERRA, OU SERÁ ROUBADO.

Bem fiquei com raiva um tempo, mas logo a paisagem para São Joaquim foi me acalmando e continuei de boa nossa viagem. Em São Joaquim ficamos muito pouco, sinceramente a cidade não nos atraiu, ou talvez não estivessemos dispostos a explorar já que queríamos ir para Urubici.

Portal de São Joaquim

Portal de São Joaquim

Pegamos a SC 416 sentido Urubici, estrada muito bonita, belas paisagens e um moinho de água que alegrou os que por lá passavam, o interessante é a água que corria, ou deveria correr,  pelos arames estava congelada…

Moinho de água

Moinho de água

Chegando em Urubici a estrada possui alguns postos de mirante, um deles você avista a cidade toda dentro do vale, muito bonito. Mas estavámos indo para a pedra furada e o desafio era descobrir como… perguntando na cidade, que não é grande foi fácil. Voce deve se dirigir até a Rua Argemiro Pereira, próximo ao Banco do Brasil o número não me recordo e não anotei. Lá você faz um cadastro básico, tipo local de origem, nome, documento, onde está hospedado etc.. e lhe dão um cartão como este abaixo:

Cartão

Cartão

Este cartão será entregue na entrada do local de acesso ao mirante da pedra. Como trata-se de uma área militar o acesso é restrito não se consegue subir até o topo do morro. Lá funciona uma divisão da aeronautica com o radar que cuida do espaço aéreo do sul do Brasil. O local de visualização é uma área de terra a beira da rodovia, sem qualquer estrutura, paramos o carro na própria rodovia. É alto, sem estrutura, mas a vista é de morrer. Canions, a pedra furada as montanhas… tudo encanta e você fica um bom tempo por lá só admirando a beleza da natureza, mas claro… um frio polar e um vento cortante.

Pedra Furada

Pedra Furada

Frio congelante, vento muito gelado e forte.. mas vale cada minuto que ficamos lá. Resolvemos descer pois a tarde já havia chego e lembrando que estamos hospedados em Palhoça, ou a 180 km mais ou menos de onde estávamos, e isto quer dizer que chegaríamos a noite. Pegamos a SC 370 sentido Rio Rufino pois ganharíamos tempo. Esta estrada é de chão batido, boa, com lindas paisagens, em grande parte beirando o Rio Canoas, com pequenas cascatas e algumas grandes como a do Tigre que não fomos visitar. Em epoca de chuva deve formar um bom barreiro. No trajeto tem uma montanha que nos lembrou o Snoopy que fica deitado sobre sua casinha…

Não lembra o Snoopy deitado?

Não lembra o Snoopy deitado?

Dali BR 282 até Palhoça e final do 2º dia. No hotel novamente ficamos monitorando a neve, se viria ou não. A previsão era de ter neve em Urupema as 10:00 hrs da manhã, planejamos o dia seguinte e fomos jantar.

Saimos de palhoça cedo e bem entusiasmado pois o termometro marcava 0º e a chance de neve cada vez mais perto…

Promissor

Promissor

Seguimos direto para Urupema, BR 282 até o entrocamento com a BR 475, que em SC recebe o nome de SC 112, caminho direto sem muito ter o que errar. Passando a cidade de Rio Rufino começa a subida para Urupema. Estrada bonita, cheia de belas paisagens também. Algumas placas de gelo na pista nos animavam ainda mais, embora só estivesse presente as placas o gelo na pista não havia… mas as plantas na rodovia estavam com as folhas brancas…humm bom sinal.

Chegando a Urupema você já tem duas atrações de boas vindas: A cachoeira que congela e o Morro das Antenas. Como era Sábado já tinha turistas por lá, ficou meio difícil estacionar o carro, assim resolvemos ir primeiro no morro das antenas. A estrada é de terra com pedras, em alguns lugares boa e em outros ruins. Tem trechos que só passa um carro, o outro deve encostar bem próximo ao morro. Mas todos se acertam. A Estrada não é longa, o que facilita a movimentação.

O Morro das Antenas é um caso aparte quando falamos em frio. Lá venta muito então a sensação térmica é muito baixa. O topo do morro é bastante amplo e cabe muitos carros e muita gente lá em cima. Estão construindo um mirante que com certeza terá uma vista fantástica, as obras já estavam mais da metade concluídas.

Estrada para o Morro das Antenas

Alto do Morro I

Alto do Morro I

Poça de gelo!

Ficar no topo foi uma tarefa difícil. A vista toda é maravilhosa, mas suportar o frio e a sensação térmica não estava fácil. O céu totalmente azul, um sol brilhante e somente ao longe algumas formações de nuvens… hummm esta é nossa esperança de neve…

Quem sabe elas chegam

Quem sabe elas chegam

Um pouco frio

Um pouco frio

Como as nuvens ainda estavam distante resolvemos descer e visitar a cachoeira que congela, a entrada fica bem ao pé do morro. Achar um lugar para estacionar foi complicado, a esta altura já haviam mais turistas no local. Paramos e descemos um trecho de rua de terra até o acesso para a cachoeira. Atenção neste acesso, principalmente se estiver com crianças pequenas. A trilha foi esculpida na encosta de um morro, que pouco sol pega no inverno, o solo fica por demais escorregadio e a trilha é inclinada, escorregar é muito fácil. Em algumas partes tem uma corda que auxilia e um parapeito. O calçado não deve ter solado liso pois você não conseguirá ficar em pé.

O local da cachoeira é bem pequeno, cabem poucas pessoas ao seu redor então a formação de fila é inevitável. Sai uma quantidade de pessoas para que outras consigam entrar, as vezes a fila demora a andar, depende de quem já está lá. O caminho é difícil, o risco de escorregar é grande, a fila demora a andar, mas o que você vai ver é formidável….

A trilha

A trilha

Cachoeira que congela

Cachoeira que congela

Não ficamos muito, até em respeito aos vários turistas que estavam aguardando na fila, fizemos mais algumas fotos e partimos para a cidade e com um olho no céu procurando pelas nuvens.

Demos uma volta pela cidade, que não é grande, e nos dirigimos a praça da Matriz, bonita praça com lago artificial que estava congelado. Como nós vários turistas esquentando um pouco sob o sol e aguardando a tão esperada neve. Havia carros de reportagem da Band e da Globo. Circulamos pela praça, fizemos algumas fotos e o céu insistindo em ficar azul, azul. Fui conversar com o pessoal da reportagem da Globo sobre a perspectiva de neve e nos disseram que as condições climáticas haviam mudado e a chance era muito pequena… mas sempre é possível…..ahh balde de água fria… no frio! Resolvemos esperar mais um pouco.

Praça da Matriz - Urupema - SC

Praça da Matriz – Urupema – SC

Ficamos um tempo pela praça e  resolvemos retornar. Como ainda era cedo no caminho decidimos ir até Florianópolis. Lá fomos até a Praia de Jurerê Internacional, circulamos um pouco por ela, voltamos ao centro de Florianópolis. A tarde já estava pela metade mas o cansaço estava inteiro e resolvemos retornar ao hotel e descansar já que iríamos embora no Domingo cedo. Assim fizemos e terminamos o 3º dia.

Jurerê

Jurerê

No Domingo acordamos cedo, café da manhã, malas no carro e retorno. Para nós a viagem só acaba quando estamos em casa e não quando saímos do destino. Isto quer dizer que o retorno também é um passeio, e vamos parando, claro com um tempo um pouco mais limitado mas sem aquela pressa e desespero que costumamos ver nas rodovias na volta de feriados.

Passamos por Camboriú, sempre com muito frio, assim praia só para admirar mesmo. Lugar muito bonito, limpo e organizado, dali partimos para Itajaí que é ao lado, conhecemos a cidade e partimos. Chegamos em nossa casa as 17:00 hrs em ponto e com um quilo de histórias para contar. Ahhh a neve? rs não ela não apareceu.

Camboriú

Camboriú

Voces podem ter notado que não falamos em restaurantes que paramos para almoçar, isto porque não fomos em nenhum. O hotel fica ao lado de um shopping, o Via Catarina. quando chegávamos a noite íamos ao shopping jantar na praça de alimentação com preços iguais aos de SP. No shopping também tem um grande supermercado onde compramos nossas refeições para o dia seguinte, com uma boa bolsa térmica você economiza consideravelmente.

Deixe um comentário!